Ode a uma Paixão

Mais uma republicação do antigo Blog.

Ode a uma paixão

Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção
Eis seu nome, merecedora de vários e inumeráveis epítetos magníficos
Apaixonado rebento que sou, orgulhoso de sua progenitora fico a fitar suas noites
Com um olhar envaidecido, embevecido e inebriado por tamanha beleza
Sobejado de paixão, carinho e ternura por esse torrão alencarino

Fortaleza, você me é poesia sibilada aos ventos noturnos do Mucuripe
É um rasgo de luar sorvido em pequenas doses a bordo da Ponte dos Ingleses
Um caso Estoril de amor profano, você minha amante, acolhedora e misteriosa
Sinto suas veias pulsarem aos meus olhos, sinto vida em suas artérias, sinto amor e paixão
Pacata e acanhada, senhora de olhar agudo e penetrante, distante e mordaz, tenaz e complacente

Boêmio de suas noites, entorpecido por algo maior que não sei descrever
Apenas sinto e esse sentimento é suficiente para gerar essas malogradas linhas
Procuro palavras, sensações, vultos mas nada acho, apenas histórias
As quais não fiz parte, mas sinto como se lá estivesse estado, cada esquina, cada praça
Ela me completa de uma forma absoluta, não me imagino sem ela e nem quero pensar nisso
Volto meu olhar a essa bela aurora… Espero que meu amor seja compartilhado por todos

Apenas Fortitudine…

Escrito por Roberto Félix numa morna noite Fevereirina já perto de entregar-me ao mundo dos sonhos

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

  

  

  

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.