[Capítulo 03] Diários de bicielétrica


Só está começando?

Mais um capítulo da novela da mobilidade elétrica. Hoje, infelizmente, com relato nada animador acerca da Dafra DBL que comprei não tem nem 1 mês. Vou procurar relatar na ordem do aparecimento dos problemas.

1º) Notei que a roda dianteira andava meio “presa”, com o freio a disco travando a roda e fazendo com que o motor trabalhe mais que o necessário. Efetuei uma regulagem manual entretanto o problema tornou a voltar.

2º) Noutra manhã a partida automática via acelerador não funcionou. Utilizei a solução Microsoft: desliguei e liguei umas duas vezes até que ele pegou.

3º) Percebi que pela parte da manhã o motor não funciona a contento. A velocidade fica em média a 15km/h, isto num terreno plano e com vento apenas lateral. No mostrador do computador de bordo é exibida a potência do motor com dois traços, as vezes apenas um. Esse mostrador geralmente é para estar cheio, com seis traços em uma situação ideal, como terreno plano e com esta condição de vento que descrevi. No retorno para casa, por volta de 17h o motor volta a trabalhar na potência normal, estranho…

4º) Este aqui foi o problema que fez com que eu levasse a bicicleta na Loja em que comprei. Ao ligar hoje de manhã o display exibiu o ícone de uma chave de boca e o código de erro 01. Segundo o manual, este erro é mostrado se existe algo errado na parte elétrica. Resolvi levar a bicicleta à Loja Dafra – São Gerado, aqui em Fortaleza. Já eram problemas demais acumulados, com menos de 1 mês de uso e menos de 100 km rodados.

Sobre o atendimento da Oficina Autorizada

Ao chegar expliquei o problema para o Paulo, recepcionista da Oficina, que chamou o mecânico. Descrevi o problema ao mecânico detalhadamente, ele pediu que eu deixasse a bicicleta para uma avaliação completa. Apesar deste inconveniente de perder a hora no trabalho e ficar sem a bicicleta, resolvi deixar para todos os problemas serem investigados e sanados.

Após de terminada minha descrição do problema para o mecânico, retornei para ser atendido pelo recepcionista da Oficina e a Ordem de Serviço ser aberta. Na fila havia apenas uma senhora para ser atendida na minha frente. Aguardei a vez escutando o caso dela. O Paulo abriu a Ordem de Serviço e prometeu entregar a moto da senhora no final do dia.

Agora minha vez! Lêdo engano… Paulo tratou de passar a minha frente um cliente ‘mais amigo’ dele… Não reclamei a princípio, vi que o problema da moto era simples e que consistia numa simples troca de pastilha de freio. Inclusive o Paulo pediu que ele aguardasse que não valia a pena ir para casa posto que o serviço seria feito em minutos. Fiquei alegre por perceber que tudo lá resolvia-se rapidamente e aguardei pacientemente minha vez.

Agora sim, Paulo resolveu atender-me. Descrevi o problema para ele abrir a Ordem de Serviço. Ao final ele veio com uma conversa que a Oficina estava cheia e que minha bicicleta só seria liberada na próxima sexta (06/12). Fiquei surpreso, visto que todos os problemas estavam sendo resolvidos rapidamente e apenas o meu iria levar quase uma semana. Que tratamento desigual é esse que a Oficina da Dafra dispensa para os clientes da Bicicleta Elétrica? Só porque é um produto mais barato que moto? Se assim soubesse nem sequer teria comprado com eles.

Agora estou sem bicicleta elétrica, hoje tive que retornar a utilizar o automóvel por causa do tempo de atraso que tive. Amanhã volto a utilizar a bicicleta comum. A lua de mel com a bicicleta elétrica parece estar acabando, espero que alguém da Dafra leia meu relato e procure acompanhar este caso com mais empenho.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

  

  

  

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.